O Jornal mais lido de Pinhais

Get Adobe Flash player

 

O evento foi promovido no Ginásio Poliesportivo Tancredo de Almeida Neves, em Pinhais 

Na manhã do último sábado (6) os alunos do Programa Esporte e Lazer na Cidade (PELC), do Ministério do Esporte, participaram do 2º Festival de Futsal. Nesta edição, o evento foi promovido no Ginásio Poliesportivo Tancredo de Almeida Neves. No total, 18 jogos foram realizados o que envolveu a participação de mais de 80 alunos.

 
Além do envolvimento dos participantes do PELC, o Festival de Futsal contou com a presença da população local. “Estas ações favorecem o diálogo entre as experiências vividas e fortalecem os laços de cooperação, de solidariedade e a capacidade de construir coletivamente um patrimônio comum”, comenta o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Bruno Sitima.

 Sobre o Programa Esporte e Lazer na Cidade (PELC)
 
O PELC foi criado pelo Ministério do Esporte em 2003 e tem por finalidade proporcionar a prática de atividades físicas, culturais e de lazer que envolvam todas as faixas etárias, inclusive pessoas com deficiência; além de estimular a convivência social, a formação de gestores e lideranças comunitárias. Também visa fomentar a pesquisa e a socialização do conhecimento, contribuindo para que o esporte e o lazer sejam tratados como políticas públicas e direitos de todos.
 
Serviço
 
 Mais informações sobre o projeto PELC nos polos esportivos:
 
- Ginásio Perdizes, localizado na Rua Alcidez Jazar, 108, Atuba. Telefone: (41) 3912-5252 ou (41) 3912-5243.
 
- Polo Esportivo e Cultural Pedro Arizona, localizado na Rua Maria Gonçalves Garcia, 150, Alto Tarumã. Telefone: (41) 3912-5788.

 

Será o primeiro depoimento do petista como réu e na presença de Moro. Avião com Lula decolou de SP com destino a Curitiba por volta das 9h30.

 

 

 

ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva será interrogado pelo juiz Sérgio Moro, responsável por ações da Lava Jato na primeira instância da Justiça, nesta quarta-feira (10). A audiência deve começar às 14h na sede da Justiça Federal em Curitiba.

É o primeiro depoimento de Lula na presença de Moro e na condição de réu. O avião com o ex-presidente decolou de São Paulo com destino ao Paraná por volta das 9h30.

Neste processo, Lula é acusado de receber R$ 3,7 milhões em propina, de forma dissimulada, da empreiteira OAS. Em troca, ela seria beneficiada em contratos com a Petrobras. Segundo o Ministério Público Federal (MPF), a OAS destinou ao ex-presidente um apartamento triplex, em Guarujá (SP), fez reformas neste mesmo imóvel e também pagou a guarda de bens de Lula em um depósito da transportadora Granero.

O avião levando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decola do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para Curitiba (Foto: TV Globo/Reprodução)O avião levando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decola do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para Curitiba (Foto: TV Globo/Reprodução)

O avião levando o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva decola do Aeroporto de Congonhas, em São Paulo, para Curitiba (Foto: TV Globo/Reprodução)

O MPF denunciou o ex-presidente por corrupção passiva e lavagem de dinheiro em 14 de setembro 2016. Seis dias depois, a Justiça aceitou a denúncia, e Lula e outras sete pessoas viraram réus (veja a lista completa). Entre eles, estava a ex-primeira-dama Marisa Letícia, que morreu em fevereiro deste ano.

Desde que foi denunciado, Lula tem negado o recebimento de propinas e o favorecimento da OAS na Petrobras. A defesa diz que o MPF não tem provas que sustentem a denúncia.

Segundo advogados, a mulher de Lula tinha uma cota no condomínio do triplex, mas a vendeu quando a OAS assumiu a obra. Eles alegam que Lula e Marisa chegaram a visitar o apartamento citado na denúncia porque planejavam comprá-lo – o que acabou não ocorrendo. A defesa também nega irregularidades no apoio oferecido pela empreiteira para guardar os bens do ex-presidente.

No final da tarde de terça (9), os advogados de Lula entraram com três recursos no Superior Tribunal de Justiça (STJ) contra decisões do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) que havia negado pedidos da defesa para adiar o depoimento. Até a manhã desta quarta não havia decisão sobre os recursos.

Em novembro do ano passado, o ex-presidente prestou depoimento a Moro por videoconferência como testemunha de defesa do deputado cassado Eduardo Cunha (PMDB-RJ).

Vista do prédio de luxo Solaris, onde está o triplex que teria sido destinado a Lula pela OAS, segundo denúncia do MPF (Foto: Nelson Almeida/AFP)Vista do prédio de luxo Solaris, onde está o triplex que teria sido destinado a Lula pela OAS, segundo denúncia do MPF (Foto: Nelson Almeida/AFP)

Vista do prédio de luxo Solaris, onde está o triplex que teria sido destinado a Lula pela OAS, segundo denúncia do MPF (Foto: Nelson Almeida/AFP)

 

Pedidos da defesa

 

Nesta semana, a defesa de Lula recorreu ao Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4), em Porto Alegre, pedindo a suspensão do processo sobre o triplex na Justiça Federal do Paraná. O advogado de Lula alegou que seria "materialmente impossível" analisar a documentação do processo para o depoimento desta quarta. São "5,42 gigabytes de mídia e cerca de 5 mil documentos estimados em cerca de 100 mil páginas", disse a defesa.

Nesta terça, o TRF4 negou o pedido e manteve o depoimento de Lula. Em sua decisão, o juiz federal Nivaldo Brunoni afirmou que o interrogatório de Lula ganhou repercussão nacional e que isso mudou a rotina da Justiça Federal de Curitiba e de vários órgãos da capital paranaense.

No final da tarde de terça, os advogados de Lula recorreram ao STJ contra decisões do TRF4. O primeiro recurso é para que o STJ considere Moro suspeito para julgar a ação penal e para suspender o processo até uma análise definitiva.

O segundo recurso é um pedido para suspender o processo por 90 dias a fim de que a defesa tenha tempo de analisar diversos documentos da Petrobras incluídos no caso. Esses dois primeiros pedidos, se aceitos pelo STJ, podem adiar o depoimento de Lula marcado para esta quarta-feira.

O terceiro recurso é para que todo o depoimento de Lula seja gravado e vídeo por uma equipe independente. Esses recursos não tinham sido julgados até a manhã desta quarta-feira.

Antes de recorrer ao STJ, a defesa de Lula havia pedido para fazer uma gravação própria do interrogatório do ex-presidente, mas Moro negou a solicitação. O juiz afirmou, contudo, que será feita uma gravação adicional, com um ângulo mais amplo da sala de audiência. Geralmente, os depoimentos são gravados com um ângulo fechado no depoente. Os advogados recorreram ao TRF4, que manteve a decisão de Moro.

 

Fase final

 

Após o depoimento de Lula, o processo chegará à fase final. O MPF e as defesas poderão pedir as últimas diligências. Caso isso não ocorra, o juiz determinará os prazos para que as partes apresentem as alegações finais.

Em seguida, os autos voltam para Moro, que vai definir a sentença, podendo condenar ou absolver os réus. Não há prazo para que a sentença seja publicada.

 

Bloqueios e segurança em Curitiba

 

A capital paranaense prepara um esquema especial de trânsito e segurança na cidade, especialmente na região onde fica a Justiça Federal, para o dia do depoimento de Lula a Moro. Devem haver manifestações a favor do ex-presidente e também de grupos que defendem a Lava Jato.

Uma decisão judicial proibiu acampamentos pela cidade das 23h de segunda até as 23h desta quarta. Também limitou a circulação de veículos e pedestres na região da Justiça Federal, no bairro Ahú.

Haverá uma força-tarefa em pontos estratégicos da cidade, com participação das polícias Civil, Militar, Rodoviária e Federal. Também foram feitos bloqueios no trânsito e alteração de algumas linhas de ônibus; veja a seguir as principais medidas:

 

  • Bloqueios no trânsito

 

O entorno do prédio da Justiça Federal terá bloqueios num raio de 150 metros. Todas as pessoas que moram e trabalham em ruas próximas precisaram se cadastrar na Polícia Militar (PM). Entre as ruas que terão interdições está a Avenida Anita Garibaldi, entre as ruas São Sebastião e Eça de Queiroz. Veja no mapa todas as ruas bloqueadas.

Mapa com os bloqueios no trânsito de Curitiba no dia do depoimento de Lula a Moro (Foto: Arte/G1)Mapa com os bloqueios no trânsito de Curitiba no dia do depoimento de Lula a Moro (Foto: Arte/G1)

Mapa com os bloqueios no trânsito de Curitiba no dia do depoimento de Lula a Moro (Foto: Arte/G1)

 

  • Locais de possíveis protestos

 

Grupos a favor e contra o ex-presidente pretendem protestar no dia do depoimento. De acordo com a Secretaria de Estado da Segurança Pública (Sesp), eles serão separados, para evitar confrontos. Quem quiser realizar manifestações a favor de Lula deverá ficar na Praça Santos Andrade. Já as pessoas contrárias devem permanecer na região do Centro Cívico.

 

O ator Nelson Xavier morreu, aos 75 anos, na noite desta terça-feira, 9, em Uberlândia, Minas Gerais. Tereza Villela Xavier, filha do ator, usou sua página no Facebook para falar da perda do pai.

"Lamento informar a quem possa interessar que meu pai, Nelson Xavier, faleceu esta noite em Uberlândia. Seu corpo será transferido, celebrado e cremado no Rio de Janeiro em cemitério ainda não determinado. Agradeço desde já as mensagens de apoio. Ele virou um planeta! Estrela ele já era. Fez tudo o que quis, do jeito que quis e da sua melhor maneira possível, sempre", escreveu ela.

Em 2014, durante o Festival de Gramado, Nelson Xavier contou que fez tratamento contra o câncer de próstata em 2004 e que estava livre da doença. Foi lá também que recebeu o prêmio de melhor ator com o longa "A despedida", um de seus últimos trabalhos.

Nascido em São Paulo em 30 de agosto de 1941, Nelson Agostini Xavier cursou direito, mas sua paixão pela arte foi mais forte. Iniciou sua carreira no teatro, com peças como "Eles Não Usam Black-tie" (1958), de Gianfrancesco Guarnieri, "Chapetuba Futebol Clube" (1959), de Oduvaldo Vianna Filho, "Gente como a Gente" (1959), de Roberto Freire, e "Julgamento em Novo Sol" (1962), de Augusto Boal.

Entre seus tantos trabalhos no cinema, estão "O ABC do Amor" (1967), "Os Deuses e os Mortos (1970), "É Simonal" (1970), "Dona Flor e seus Dois Maridos" (1976), e "A Queda" (1978), de Ruy Guerra, que lhe rendeu um Urso de Prata no Festival de Berlim.

Em 2010, Nelson interpretou Chico Xavier no cinemas. Na época, o ator afirmou que havia vivido ali seu melhor papel. "Finalmente fiz o meu maior papel. Fui invadido por uma onda de amor tão forte, tão intensa, que levava às lágrimas”, contou Nelson Xavier, que no longa viveu o líder espírita dos 59 aos 65 anos. “Nenhum dos personagens que fiz mudou minha vida. O Chico fez uma revolução”.

Defesa do ex-presidente protocolou habeas corpus para suspender processo sobre o triplex da OAS. Com isso, depoimento do petista ao juiz Sérgio Moro está mantido para esta quarta-feira (10).

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) negou o pedido da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva sobre a suspensão do processo do triplex da empreiteira OAS. Com isso, está mantido o depoimento do petista ao juiz Sérgio Moro nesta quarta (10), em Curitiba.

A decisão é do juiz federal Nivaldo Brunoni, convocado para substituir desembargador federal relator da Lava Jato na 8ª Turma, em Porto Alegre, João Pedro Gebran Neto. O G1 entrou em contato com os advogados de Lula e aguarda uma posição.

A defesa do ex-presidente recorreu com um habeas corpus que pedia liminarmente a suspensão do processo sobre o triplex da empreiteira OAS. Os advogados alegaram prejuízo pelo fato de haver juntada de documentos pela Petrobras nas últimas semanas. No pedido, os defensores solicitavam ainda mais tempo para análise de documentos.

Em sua decisão, o magistrado destacou que o interrogatório de Lula ganhou repercussão nacional e que isso mudou a rotina da Justiça Federal de Curitiba e de vários órgãos da capital paranaense.

“Medidas excepcionais foram tomadas para evitar tumulto e garantir a segurança nas proximidades do fórum federal; prazos foram suspensos, o acesso ao prédio-sede da Subseção Judiciária será restrito a pessoas previamente identificadas e o trânsito nas imediações será afetado, medidas que vem mobilizando vários órgãos da capital paranaense”, escreveu Brunoni.

Para o magistrado, não há razão para suspender o depoimento e o andamento da ação penal.

“Assim, ausente flagrante ilegalidade e possibilitada pela própria autoridade coatora a apresentação de documentação até a fase do art. 402 do CPP e, ainda, a eventual repetição de atos processuais já realizados, não há razão para o deferimento de suspensão do interrogatório do paciente e sobrestamento da ação penal”, diz o texto.

A defesa alega que "é materialmente impossível" analisar a documentação do processo até esta quarta (10), data em que o depoimento do ex-presidente ao juiz Sérgio Moro, da Justiça Federal de Curitiba, está marcado. O MPF acusa Lula de receber um triplex da construtora, como pagamento de propina. O petista nega as acusações.

No habeas corpus, a defesa também pedia "a concessão da ordem para que seja concedido prazo razoável para a análise dos documentos, além da apresentação da íntegra da relação antes requerida e deferida pelo Juízo, com a eventual renovação dos atos processuais subsequentes que tenham sido prejudicados pela decisão ilegal."

Conforme a defesa de Lula, existem "5,42 gigabytes de mídia e cerca de 5 mil documentos estimados cerca de 100 mil páginas".

Porém, segundo Brunoni, a documentação que a Petrobras anexou ao processo foi requerida pela própria defesa e não está relacionada aos contratos indicados na denúncia. “Não há ilegalidade no não fornecimento de contratos e documentos que não digam respeito às imputações não contidas na denúncia”, explicou o relator.

O relator também negou a suspensão da tramitação do processo, também requerida pela defesa, até que examinasse todos os documentos. “Foge do razoável a defesa pretender o sobrestamento da ação penal até a aferição da integralidade da documentação por ela própria solicitada, quando a inicial acusatória está suficientemente instruída”, concluiu.

Moro retomou na última quinta-feira (4) os depoimentos de réus no processo. As audiências deveriam ter sido realizadas em 28 de abril, mas foram adiadas a pedido dos advogados, em função da greve geral marcada para aquele dia.

Lula também teve o depoimento adiado, mas a pedido da Polícia Federal, que alegou não ter conversado com as autoridades competentes para garantir a segurança no dia 3 de maio, data original da oitiva.

 

O processo

 

Nesta ação penal, o MPF acusa o ex-presidente de receber um apartamento triplex, no Guarujá, litoral paulista. O imóvel faz parte de uma série de obras que a OAS assumiu após a falência da antiga cooperativa de crédito do Sindicato dos Bancários de São Paulo, a Bancoop.

Triplex fica no Guaruja, no litoral paulista (Foto: Reprodução/TV Globo)Triplex fica no Guaruja, no litoral paulista (Foto: Reprodução/TV Globo)

Triplex fica no Guaruja, no litoral paulista (Foto: Reprodução/TV Globo)

Quando ainda era parte do Bancoop, a família Lula possuía uma cota de um apartamento no edifício que seria construído. No entanto, a defesa do ex-presidente diz que a ex-primeira-dama Marisa Letícia decidiu suspender o negócio quando houve a transferência de responsabilidade para a OAS, recebendo os valores já pagos para o Bancoop.

O MPF sustenta, porém, que a OAS queria entregar o apartamento a Lula, como contrapartida por supostos serviços prestados por ele, atuando em favor da empresa junto a contratos com a Petrobras.

A afirmação está baseada, entre outras coisas, em visitas feitas pela família de Lula ao imóvel, em 2014. O apartamento recebeu uma série de melhorias após essa visita, incluindo a instalação de um elevador privativo para dar acesso aos andares do imóvel.

Em depoimento, o ex-presidente da empresa, José Aldemário Pinheiro Filho, conhecido como Léo Pinheiro, afirmou que, quando houve a divulgação de que o triplex pertenceria a Lula, ele procurou João Vaccari Neto e, depois, Paulo Okamotto para saber como proceder, uma vez que o triplex estava em nome da OAS.

“A orientação que foi me passada naquela época foi ‘toque o assunto do mesmo jeito que você vinha conduzindo. O apartamento não pode ser comercializado, o apartamento continua em nome da OAS, e, depois, a gente vai ver como fazer a transferência ou o que for’”. De acordo com Pinheiro, assim foi feito.

Segundo o empresário, a cota pertencente a Lula e a Dona Marisa era de um apartamento típico do edifício Solaris (a unidade 141), e não de um triplex (a unidade 164). A diferença de preço entre o imóvel adquirido pela família do ex-presidente e o triplex ficava em torno de R$ 750 mil e R$ 800 mil. Essa diferença, segundo o réu, foi abativa no encontro de contas com João Vaccari.

"Eu fui orientado que esse apartamento eu poderia negociá-lo, porque o apartamento da família seria o triplex". Essa orientação, ainda de acordo com Léo Pinheiro, partiu de Vaccari e de Okamoto.

Pinheiro disse que o triplex tinha área três vezes maior do que a dos demais apartamentos e que valor era duas vezes e meia maior. Ainda segundo o réu, em momento algum foi falado que o presidente pagaria a diferença de preço.

 

Versão diferente

 

Outros ex-executivos da OAS que prestaram depoimento deram versões diferentes sobre o caso do apartamento. Eles disseram que não tinham conhecimento de que as obras executadas no apartamento seriam, de fato, para que o ex-presidente pudesse ficar com o imóvel. Fábio Yonamine e Paulo Gordilho disseram que as melhorias foram requisitadas por Pinheiro e que eles apenas obedeceram às ordens.

Os dois, porém, confirmaram à Justiça as visitas da família Lula ao apartamento, em 2014. Uma delas, inclusive, teve a presença do próprio ex-presidente, e a outra, apenas de dona Marisa e Fábio Luis Lula da Silva, filho do casal.

 

Fase final

 

Após o depoimento de Lula, o processo chegará à fase final. O MPF e as defesas poderão pedir as últimas diligências. Caso isso não ocorra, o juiz determinará os prazos para que as partes apresentem as alegações finais. Em seguida, os autos voltam para Moro, que vai definir a sentença, podendo condenar ou absolver os réus. Não há prazo para que a sentença seja publicada.

O evento, realizado na tarde desta sexta-feira (5), contou com a participação dos frequentadores do CCI


O Centro de Convivência do Idoso (CCI), da Prefeitura de Pinhais, promoveu uma tarde recreativa nesta sexta-feira (5). Na oportunidade, estiveram presentes os participantes das diversas atividades promovidas pelo CCI, que está localizado no bairro Estância em Pinhais e é vinculado à Secretaria de Assistência Social do município.

O Centro de Convivência do Idoso foi desenvolvido para atender às necessidades das pessoas na melhor idade do município. O espaço, inaugurado em março de 2010, oferece diversas atividades ao longo da semana, como as oficinas de teatro, coral, pintura em tela e violão, além de passeios e atividades como a dança de salão, ginástica, entre outras. Atualmente, cerca de 500 pessoas participam das atividades promovidas no local.

Serviço

Para participar das atividades promovidas pelo CCI é preciso ter, no mínimo, 60 anos completos, ser morador de Pinhais e se cadastrar no Cadastro Único para Programas Sociais. O CCI funciona de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 17h, na Avenida Guilherme Weiss, 450, no bairro Estância Pinhais. Mais informações no telefone (41) 3912-5675.

 

Assessoria de Imprensa

A competição reuniu alunos, professores e diretores de 13 escolas da rede estadual e da rede particular de ensino do município

 

Na tarde da última quinta-feira (5) foi realizada no Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann a premiação da 15ª edição Jogos Interescolares de Pinhais (Jieps). A competição reuniu alunos, professores e diretores de 13 escolas da rede estadual e da rede particular de ensino do município e serviu como a fase municipal dos Jogos Escolares Estaduais.

De acordo com a prefeita de Pinhais, Marli Paulino, ao reunir tantos estudantes, a iniciativa demonstra o comprometimento com o esporte no município. “Além da promoção da saúde, sabemos que o esporte transforma a vida de muitos jovens. E isso tem que ser impulsionado de maneira constante pelo poder público”, ressalta.

Para o secretário de Cultura, Esporte e Lazer, Bruno Sitima, os jogos são de muita valia para a comunidade escolar. “Por meio deste evento não procuramos encontrar atletas, mas sim o incentivo ao esporte. Porém, sabemos que muitos jovens que disputam os jogos acabam se destacando em suas modalidades e isto é muito importante”, afirma.

A competição esteve dividida nas seguintes modalidades: vôlei de praia (feminino e masculino), tênis-de-mesa (feminino e masculino), voleibol (feminino e masculino), futsal (feminino e masculino), xadrez (feminino e masculino) e basquetebol (masculino).

Confira a classificação geral:

1º lugar: Colégio Estadual Oscar Joseph D'plácido e Silva, com 97 pontos.
2º lugar: Instituto Educacional Pinhais (Iepi), com 87 pontos.
3º lugar: Colégio Luarlindo dos Reis Borges, com 55 pontos.
4º lugar: Colégio Estillo, com 45 pontos.
5º lugar: Colégio Estadual Humberto de Alencar Castelo Branco, com 42 pontos.
6º lugar: Colégio Estadual Walde Rosi Galvão, com 36 pontos.
7º lugar: Colégio Estadual Mathias Jacomel, com 32 pontos.
8º lugar: Colégio Sesi Pinhais, com 25 pontos.
9º lugar: Colégio Estadual Semiramis de Barros Braga, com 20 pontos.
10º lugar: Colégio Estadual Newton Freire Maia, com 17 pontos.
11º lugar: Colégio Estadual Professor Paulo Freire, com 17 pontos.
12º lugar: Colégio Estadual Amyntas de Barros, com 7 pontos.
13º lugar: Colégio Estadual Ottília Homero da Silva, com 3 pontos.

Pinhais estará representada nos Jogos Escolares Estaduais pelas seguintes equipes:

Futsal
Masculino: Colégio Estadual Mathias Jacomel e Colégio Estadual Oscar Joseph D'plácido e Silva.
Feminino: Colégio Estadual Semiramis de Barros Braga e Colégio Estillo.

Voleibol
Masculino: Colégio Sesi Pinhais e Colégio Luarlindo dos Reis Borges.
Feminino: Colégio Estadual Oscar Joseph D'plácido e Silva e Instituto Educacional Pinhais (Iepi).

Basquete
Masculino: Colégio Estadual Mathias Jacomel.

 

Assessoria de Imprensa

Justiça, Trabalho e Direitos Humanos

 

O Procon-PR - órgão da Secretaria de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos - e a Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon) promovem entre 8 e 13 de maio um mutirão online de renegociação de dívidas.

De acordo com Alane Borba, vice-diretora do Procon-PR, “a plataforma www.consumidor.gov.br, utilizada no processo, permite a interlocução direta entre consumidores e fornecedores, de uma forma rápida e efetiva, o que possibilita uma resposta ágil do poder público aos anseios do cidadão”.

Para participar, o consumidor, a microempresa (ME) ou microempresário individual (MEI) devem acessar a plataforma www.consumidor.gov.br, no período do mutirão, e fazer o registro para receber um login e senha. Depois, basta selecionar uma instituição financeira cadastrada e formalizar a solicitação de renegociação de débitos. Após finalizar o registro, o fornecedor tem o prazo de até 10 dias para apresentar uma resposta.

Além de representar um esforço conjunto dos setores público e privado para oferecer melhores oportunidades de renegociação, a iniciativa tem entre seus principais objetivos sensibilizar os consumidores e fornecedores sobre a importância da educação financeira na prevenção do superendividamento e na estruturação de uma vida financeira saudável.

Confira AQUI as empresas participantes

Coordenadores e chefes dos 12 escritórios regionais e da sede da Companhia de Habitação do Paraná (Cohapar) protocolaram na Caixa Econômica Federal projetos para a construção de 11.034 novas moradias rurais em 327 municípios do Estado. A articulação foi feita após a liberação de uma nova cota de recursos do Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR) pelo governo federal. 

Aumentar ainda mais a oferta de moradias para famílias paranaenses é uma prioridade do Governo Estadual. O governador Beto Richa tratado da questão junto ao Ministério da Cidade. No último dia 15 de março, ele levou o pleito de mais recursos para a habitação popular do Paraná diretamente ao ministro Bruno Araújo. 

Desde 2011, os projetos habitacionais ligados ao PNHR beneficiaram aproximadamente 13 mil famílias paranaenses. Além de agricultores familiares, as ações atendem a demanda de trabalhadores rurais, indígenas, quilombolas e pescadores artesanais. 

“Grande parte das riquezas produzidas no Paraná é fruto do árduo trabalho dos nossos agricultores. Por isso, os investimentos feitos pelo governo estadual na melhoria das condições de vida destes trabalhadores é também um estímulo ao desenvolvimento econômico do Estado", diz o presidente da Cohapar, Abelardo Lupion.

PROGRAMA – Publicada pelo Ministério das Cidades em 22 de março deste ano, a portaria 268 prevê a liberação de recursos para a construção de 35 mil imóveis rurais em todo o Brasil. Para terem acesso a uma parcela das unidades, os municípios deveriam apresentar, com o apoio do Governo Estadual, a documentação exigida dentro dos critérios estabelecidos pelo PNHR até 30 de abril.

SUBSÍDIOS - Pela regulamentação atualizada do programa, famílias com renda anual de até R$ 17 mil que possuam apenas uma propriedade rural receberão subsídios de R$ 34.200 para a construção de novas moradias. Cada família arca apenas com 4% do valor do imóvel, que deve ser quitado em quatro parcelas anuais de R$ 342. 

As unidades planejadas pela Cohapar podem variar de 43 a 47 metros quadrados, de acordo com os custos de obra em cada região do Estado. Cada casa possui dois quartos, sala, cozinha, banheiro, área de serviço e varanda, com projeto arquitetônico adaptado às condições do meio rural. 

ESTRATÉGIA - O presidente da Cohapar, Abelardo Lupion, explica que a estratégia adotada pela empresa envolve a apresentação de projetos excedentes para captação de recursos remanescentes destinados a outros estados que não consigam se adequar ao programa.

“Estamos dando total suporte aos municípios para que o maior volume possível de moradias seja destinado ao Paraná”, afirma Lupion. 

A coleta e organização da documentação necessária foram feitas com a participação das equipes regionais da Secretaria de Estado da Agricultura e Abastecimento e a Emater. Os órgãos são parceiros ativos do programa desde o início através do cadastramento, seleção e acompanhamento social das famílias beneficiadas pela iniciativa. 

RECONHECIMENTO – O modelo de gestão habitacional do Governo do Paraná tornou-se destaque em nível nacional com a obtenção do Selo de Mérito dado pela Associação Brasileira de Cohabs e Agentes Públicos de Habitação (ABC). Para Lupion, o reconhecimento resulta da prioridade com que o setor é tratado pela atual gestão estadual. 

Para saber mais sobre a Cohapar, acesse:

www.cohapar.com.br 
www.facebook.com/CohaparPR/

Tel. 
(41) 3312-5815
Assessoria de Comunicação 
Companhia de Habitação do Paraná 

Além da participação no dia, a população também pode colaborar preenchendo um questionário, apontando itens que considera mais importantes para o seu bairro

Na próxima quarta-feira, dia 10 de maio, a Prefeitura de Pinhais realiza audiência pública referente à elaboração da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) 2018. O evento será às 18h30, no Centro de Formação dos Profissionais da Educação (Cenforpe II). A audiência é direcionada aos moradores de todos os bairros de Pinhais. Estas ações fazem parte do processo do Orçamento Integrado, que abre espaço para a população discutir junto do poder público quais são as prioridades de investimento na cidade.

A LDO define as metas e prioridades para o exercício financeiro, orienta a elaboração do orçamento e faz as alterações na legislação tributária. Além da participação no dia, a população também pode colaborar preenchendo o questionário, disponível no site da Prefeitura, apontando itens que considera mais importantes para o bairro em que mora, como por exemplo: asfalto, limpeza de terrenos e ruas, sinalização, entre outros.

No decorrer do ano, também são realizadas audiências públicas para elaboração da Lei Orçamentária Anual, do Plano Plurianual e de Prestação de Contas. Nas audiências a população tem a oportunidade de fazer sugestões e reclamações, além de apresentar questionamentos sobre diversos assuntos. No município de Pinhais este modelo de participação popular foi implantado em 2009, obtendo um bom resultado na elaboração de ferramentas de planejamento municipal.

Serviço

O questionário de participação está disponível no link.
Prefeita Marli visitou a Agência e conferiu as atividades oferecidas em alusão ao Dia do Trabalhador
Em comemoração ao Dia do Trabalhador, a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, por meio da Agência do Trabalhador, realizou ações voltadas ao público que está em busca de empregos. O município propôs as atividades frente à realidade enfrentada no Brasil, pois atualmente registra-se a marca recorde de 13,547 milhões de pessoas fora do mercado. É o número mais elevado de desempregados no país desde o início da série histórica do IBGE, iniciada em 2012. Além disso, a taxa de desemprego de 13,2% é a mais alta já registrada pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua).

Durante o evento foram atendidas mais de 500 pessoas, com consulta e encaminhamento para vagas, emissão da carteira de trabalho e Seguro Desemprego. Também foram ofertadas palestra e orientações sobre a saúde do trabalhador, pela Gerência de Vigilância Sanitária, Ambiental e Saúde do Trabalhador, da Secretaria Municipal de Saúde. O SENAC disponibilizou corte de cabelo para aqueles que aguardavam atendimento.

A novidade apresentada durante a ação foi a ampliação do espaço de atendimento ao público. “Nossa intenção é proporcionar, de maneira constante, mais qualidade nos serviços que ofertamos aqui na Agência do Trabalhador”, afirmou Giane de Jesus, diretora do Departamento de Geração de Emprego e Renda.

Também acompanharam a disponibilização de serviços, a prefeita de Pinhais, Marli Paulino; a vice-prefeita, Rosa Maria; e o secretário de Desenvolvimento Econômico, Genésio de Siqueira Junior.

“Sabemos que o país vive um momento extremamente preocupante, e na esfera municipal temos buscado alternativas para contornar a crise. A Agência do Trabalhador oferece um ótimo suporte e diariamente atende centenas de pessoas em busca de oportunidades. Também oferecemos cursos que visam preparar a população para o mercado de trabalho”, destaca a prefeita Marli Paulino.

Att,

Assessoria de Imprensa

logo Fundação 2001

A Fundação Hospitalar Pinhais é atuante na cidade de Pinhais há 14 anos nas áreas

da educação, saúde, esporte, cultura e assistência social, sendo referência no

atendimento de urgências e emergências médicas, atendimento ambulatorial,

serviços de diagnósticos e/ ou terapêuticos, cirurgias, transplantes, tratamento

oncológicos. Apoia e desenvolvem projetos, ações para a defesa, elevação e

manutenção da qualidade de vida do ser humano e do meio ambiente.

Por se tratar de um projeto social com o objetivo de beneficiar a população mais

vulnerável, haverá interação com o sistema público de saúde nas esferas municipal,

estadual e federal, para isto busca-se reduzir a demanda reprimida do atendimento

do Sistema Público de Saúde do Município de Pinhais, objetivando melhor qualidade

e a expectativa de vida aos pacientes.

No próximo dia 06 e 07 de maio estaremos realizando o MUTIRÃO PARA A

REFORMA do AMBULATÓRIO SOCIAL, convidamos a todos para participar desta

importante Ação Voluntária.

Atualmente o Hospital e maternidade atua de forma bastante significativa junto a

população de Pinhais via SUS- sistema único de Saúde, mais com a conclusão da

reforma poderá ampliar seu atendimento social nas diversas especialidades, além de

garantir atendimento as pessoas encaminhadas pelas entidades de assistência

social conveniadas.

Contamos com a presença e participação através de doação, ajuda e apoio

financeiro para dar continuidade a este maravilhoso projeto.

CONTATO COMERCIAL

atendimento pelo email:

tudoPinhais@gmail.com

 

Visitantes

002408755
Hoje
Ontem
Ultima Semana
Ultimos Mêses
Este Mês
Último Mes
Total Geral
601
2058
11284
2383489
41811
61069
2408755

Your IP: 108.162.246.111
Server Time: 2018-06-23 05:14:50

Facebook