O Jornal mais lido de Pinhais

Get Adobe Flash player

curtir

EDIÇÕES

 

EDIÇÃO JUNHO

EDIÇÃO MAIO

EDIÇÃO ABRIL

 EDIÇÃO MARÇO

 

EDIÇÃO DE FEVEREIRO

 

motorista de ônibus Edmilton José de Melo, de 45 anos, foi assassinado durante um arrastão que ocorreu no ônibus que ele dirigia, no início da noite deste sábado (22), em Colombo, na Região Metropolitana de Curitiba. Os bandidos fizeram uma “limpa” nos passageiros e na saída, sem motivo aparente, atiraram contra o motorista.

Segundo informações da Polícia Militar, Edmilton conduzia a linha Curitiba / Jardim Paulista e parou num dos pontos da BR-116, na altura da Vila Zumbi dos Palmares, para que um casal que estava na parada embarcasse. Logo que o casal subiu no coletivo, mais dois homens entraram junto e os quatro anunciaram o roubo.

Conforme informações preliminares da Polícia Civil, os marginais já estavam terminando de retirar dinheiro e celulares dos passageiros, quando o motorista reagiu. Acredita-se que ele imaginou que a arma usada por um deles fosse de brinquedo e tentou toma-la do assaltante, que reagiu atirando. Os quatro suspeitos fugiram para dentro da vila e ainda não há a identificação deles. Acredita-se que sejam moradores da região.

Velório

O velório de Edmilson será no município de Bocaiúva do Sul, na Região Metropolitana de Curitiba, na capela bem na entrada da cidade, a partir das 16h30 deste domingo (23). O sepultamento também deverá ser na cidade, mas ainda não há horário definido.

Repúdio e protesto

Em nota oficial emitida pelo Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) logo após o ocorrido, a entidade, convoca a categoria e a sociedade para um protesto, que deve correr às 15h desta segunda-feira (24), na Praça Rui Barbosa. O intuito é pedir câmeras de vigilância nos coletivos. Confira a nota na íntegra:

“O Sindicato dos Motoristas e Cobradores de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Sindimoc) está convidando motoristas, cobradores e também os usuários do transporte coletivo (especialmente aqueles já vitimados por arrastões e assaltos) para protesto e lançamento da campanha “FILMADORA JÁ”.

O protesto ocorre nesta segunda-feira (24), às 15h00, na Praça Rui Barbosa, e visa exigir instalação de sistemas de monitoramento por câmera em todos os ônibus de Curitiba e Região Metropolitana.

Na noite de sábado, durante arrastão de ônibus na linha N74 – Curitiba / Jd. Paulista, em Colombo, o motorista do coletivo, Edmilton José de Melo, de 45 anos, foi brutalmente assassinado. Quatro assaltantes fugiram pela vila Zumbi, segundo relatos das vítimas assaltadas.

“Com o efetivo que temos na Polícia Militar, apesar de toda a boa vontade e profissionalismo da instituição, é humanamente impossível coibir a gigante onda de criminalidade que vem assombrando Curitiba e Região Metropolitana. Por isso, o Sindimoc reitera a necessidade de instalação de câmeras de monitoramento”, explica Anderson Teixeira, presidente da entidade.”

A Região Metropolitana de Curitiba gerou quase mil empregos com carteira assinada de janeiro a maio de 2017 e foi a única entre as regiões pesquisadas pelo Ministério do Trabalho a ter saldo positivo no período. 
Dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados nesta semana pelo Ministério do Trabalho, mostram que, no período, o saldo entre admissões e demissões foi de 969 empregos na RMC, o melhor resultado dos últimos três anos. No mesmo período do ano passado, o saldo a RMC havia sido negativo em 11.168 postos e em 2015 em 2.443 postos.
“É a primeira vez, desde 2011, que a região de Curitiba lidera o ranking do País com saldo positivo de vagas”, diz Suelen Glinski dos Santos, economista do Observatório do Trabalho da Secretaria de Justiça, Trabalho e Direitos Humanos.
A retomada do emprego na RMC contrasta com as demais regiões metropolitanas do País, que ainda apresentam números negativos. O Rio de Janeiro eliminou, na mesma base de comparação, 52.860 empregos, Recife (-18.109), São Paulo (-14.055), Fortaleza (-11.365), Salvador (-6.910), Belo Horizonte (-2.934), Porto Alegre (-2.154) e Belém (-1944).
SETORES – Os setores de serviços, da construção civil – impulsionado tanto por obras públicas quanto privadas – e automotivo lideraram a geração de vagas na RMC.
Nos primeiros cinco meses do ano, o setor de serviços obteve saldo de 2.754 postos. A construção civil, por sua vez, abriu 1.309 novos empregos no período. “O que diferencia a RMC das demais regiões metropolitanas do País é que mais de um setor registrou desempenho positivo nos primeiros cinco meses do ano. Essa diversificação impulsionou o saldo”, afirma Suelen dos Santos. 
De acordo com a economista, a retomada do emprego foi abrangente e registrada em 13 dos 25 subsetores de atividade no Estado. Entre os destaques estão comércio e administração de imóveis, com 1.595 novas vagas; ensino, com 1.456 postos; indústria de material de transporte (864); serviços médicos, odontológicos e veterinários (836) e indústria química de produtos farmacêuticos, veterinários e de perfumaria (364). 
MONTADORAS -Entre as atividades, a fabricação de automóveis, camionetas e utilitários foi a que mais contratou, com 736 postos, seguida pelo fornecimento e gestão de recursos humanos para terceiros (700) e construção de rodovias e ferrovias (553). 
PARANÁ – O bom desempenho da RMC acompanhou o do Paraná. O Estado gerou 25.182 novos empregos com carteira assinada nos primeiro cinco meses de 2017, já descontadas as demissões. No mesmo período do ano passado, o Paraná registrava um saldo negativo de 9.382 vagas. Em maio, pelo quinto mês consecutivo, o saldo (diferença entre contratações e demissões) foi positivo, em 2.379 vagas. Tanto no mês quanto no acumulado do ano, o Estado teve o melhor resultado da região Sul.

CONTATO COMERCIAL

atendimento pelo email:

tudoPinhais@gmail.com

 

Facebook