O Jornal mais lido de Pinhais

Get Adobe Flash player

Solenidade contou com 210 alunos dos polos de Pinhais, Piraquara e Quatro Barras

Na noite da última quarta-feira (13), foi realizado no Centro dos Profissionais da Educação - CENFORPE a solenidade de formatura de mais de 200 alunos do Instituto Federal do Paraná - IFPR, dos polos de Pinhais, Piraquara e Quatro Barras. Alunos dos cursos técnico subsequente na modalidade de ensino a distância com habilitações em Administração, Serviços Públicos, Agente Comunitário de Saúde, Meio Ambiente, Logística, Segurança do Trabalho, receberam o diploma.

A prefeita de Pinhais Marli Paulino se disse muito feliz em participar desse momento e ressaltou a importância em ter uma unidade de ensino desse porte no município. "Foi uma conquista muito grande trazermos para Pinhais um campus do IFPR, e os munícipes tem que aproveitar essa oportunidade e a facilidade de cursar um ensino técnico ou superior próximo de casa", relatou a prefeita.

Já o diretor geral do IFPR Pinhais Professor Celso Buiar falou da parceria com a prefeitura. "Tivemos o privilégio de junto com a Prefeitura de Pinhais formarmos centenas de alunos. Com isso, fortalecemos uma parceria que já existe desde a criação do Campus. Mostramos a importância da existência de uma unidade aqui e também do trabalho que foi feito por toda a comunidade para que essa realidade pudesse acontecer", disse Buiar. Ele acrescentou que o IFPR tem a intenção de implantar além dos cursos técnicos a distância, cursos de tecnologia também nessa modalidade. Além disso, o Campus está providenciando criação de outros cursos de graduação, bacharelado, tecnologias, especialização e de mestrado.

Estiveram presentes na solenidade, além da prefeita Marli Paulino; a vice-prefeita Rosa Maria; ex-prefeito de Pinhais Luizão Goulart; a secretária de Educação Andrea Franceschini; o secretário de Desenvolvimento Econômico Genésio Siqueira Junior; pró-reitor de planejamento do Instituto Federal do Paraná, Professor Doutor Paulo Yamamotto, que neste evento representou o reitor pró-tempore Professor Doutor Odacir Antonio Zanatta; o diretor geral da Diretoria de Educação a Distância do IFPR, Marcos Antonio Barbosa; o diretor geral do campus Pinhais do IFPR, Professor Celso Buiar e a professora Marcia da Luz Correa Galindo, representando todos os coordenadores e professores dos cursos a distância.

IFPR

Referência em educação profissional, tecnológica e científica, o IFPR é uma instituição pública federal de ensino reconhecida pelo compromisso com a educação e a transformação social. Além disso, a instituição adotou a proposta trilíngue (português, inglês e espanhol), vigente em todas as modalidades de ensino e de projetos, por estar ciente da expansão das fronteiras nacionais e culturais.

Serviço

O IFPR Pinhais está localizado na Avenida Humberto Alencar Castelo Branco, 1575, no bairro Jardim Amélia.

 

Estão abertas as inscrições para a X Copa Pinhais de Futebol - Master promovida pela Prefeitura de Pinhais, por meio da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer. Como de costume, as equipes inscritas serão divididas em duas séries (ouro e prata) de acordo com a colocação final na última Copa Pinhais. As equipes interessadas têm até o dia 27 de julho para se inscrever na competição.

Só poderão participar da competição as equipes que possuem CNPJ ativo de clube esportivo e com sede no município de Pinhais. Os clubes estarão isentos de taxa de inscrição e arbitragem, havendo apenas a contribuição solidária de duas cestas básicas, que serão encaminhadas à Secretaria Municipal de Assistência Social e posteriormente destinadas à doação.

Serviço

Mais informações na página da Secretaria Municipal de Cultura, Esporte e Lazer. 

Foi prorrogado até a próxima sexta-feira, dia 15 de junho, o prazo para  inscrições no 1º Concurso de Quadrilhas Juninas de Pinhais. 

O evento é organizado e promovido pela Secretaria de Cultura, Esporte e Lazer da Prefeitura de Pinhais (SEMEL), por meio do Departamento de Cultura. Para se inscrever os interessados deverão preencher a ficha de inscrição que consta no site da prefeitura (https://bit.ly/2xdc0rNe enviar  para o e-mail concursoquadrilh[email protected] ou entregar pessoalmente no Centro Cultural Wanda dos Santos Mallmann.

As coreografias podem apresentar características urbanas e atuais de dança desde que mantenham as tradicionais da cultura de quadrilha junina. As apresentações acontecerão no dia 23 de junho, a partir das 9h, no Ginásio Poliesportivo Tancredo de Almeida Neves.

O 1º Concurso de Quadrilhas Juninas de Pinhais é destinado a todas as quadrilhas juninas e tem como objetivos resgatar e valorizar as tradições da cultura popular junina e desenvolver integração e intercâmbio cultural e social entre os participantes.

Poderão concorrer grupos de Pinhais e região nas seguintes categorias:

- Baby: com crianças de até 5 anos;

- Infantil: com crianças de 6 a 8 anos;

- Infanto-Juvenil: com crianças de 9 a 11 anos;

- Sênior: com integrantes de 12 a 15 anos;

- Adulto: com integrantes de 16 a 59 anos;

- Melhor Idade: com integrantes acima de 60 anos.

 

Serviço

Mais informações pelo telefone (41) 3912-5253.

Os recursos são provenientes do repasse feito pelo Governo do Estado em cerimônia realizada no início do mês de maio

 

Clique para ver todas as Imagens

A prefeita de Pinhais, Marli Paulino, assinou o contrato com a empresa vencedora do processo licitatório para dar início às obras de calçamento no município. As vias que receberão as benfeitorias serão: Ruas Casimiro de Abreu e Guilherme Ceolin, (Vargem Grande) e também as Ruas Honduras e Gana (Pineville) e Avenida Cotinga (Jardim Claudia).

Os recursos são provenientes do repasse feito pelo Governo do Estado em cerimônia realizada no início do mês de maio na Casa Civil do Paraná. O prazo para execução dos serviços e de aproximadamente 210 dias. Os recursos, repassados por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano, totalizam R$ 5 milhões e também preveem a aquisição de equipamentos rodoviários, como retroescavadeira e caminhões.

De acordo com a prefeita, esta é mais uma conquista para o município e para comunidade. "É importante mantermos a parceria com o Governo do Estado para reforçar as ações em benefício da população. Estes recursos serão somados aos investimentos já realizados pela Prefeitura de Pinhais, por meio da Secretaria de Obras Públicas, que realiza intervenções constantes por toda a cidade", ressalta Marli Paulino.

 

foto SMCS

Em votação simbólica realizada na manhã desta quarta-feira (30), os vereadores de Curitiba aprovaram um pedido para que a Prefeitura baixe a tarifa técnica do transporte coletivo. A sugestão se dá em razão da retirada do PIS/Cofins e da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide) sobre o óleo diesel pelo governo federal.

A sugestão foi feita pelo vereador Bruno Pessuti (PSD), que integra a base aliada de Greca. “Pedimos ao prefeito que faça a redução da tarifa técnica para que esse dinheiro pago pela tarifa técnica [15% do custo] não fique no bolso dos empresários, porque o combustível vai ficar mais barato para o empresário. A diferença tem que ficar no Fundo Municipal do Transporte ou no bolso de quem paga a passagem”, disse Pessuti na tribuna. Segundo o vereador, a redução pode ir de R$ 0,03 a R$ 0,10 na tarifa técnica.

No último domingo (27), o presidente Michel Temer cedeu e decidiu congelar por 60 dias a redução do preço do diesel na bomba em R$ 0,46 por litro.

Os vereadores pedem a alteração da resolução 9 da Urbs, de 23 de março de 2018, que fixa a tarifa técnica para as empresas que operam o sistema de transporte de Curitiba em R$ 4,23. Na opinião de Bruno Pessuti, que foi relator da CPI do Transporte Coletivo da Câmara Municipal em 2013, o valor da tarifa técnica é em decorrência da elevação do preço do combustível pela majoração da Cide em 2017.

À Banda B, Pessuti explicou que esse valor não necessariamente seria repassado ao usuário. “A redução pode ser apenas na tarifa técnica e servir para o fundo do transporte urbano, melhorando a infraestrutura e segurança, ou reduzir efetivamente a tarifa social, já que qualquer centavo faz muita diferença para todo trabalhador”, comentou.

Segundo a Urbs, qualquer medida que impacte na tarifa técnica, não deve ocasionar redução de tarifa ao usuário. O valor que venha a ser arrecadado a mais será repassado ao Fundo de Urbanização de Curitiba (FUC), que é o fundo de melhorias para o próprio sistema do transporte.

bandab

 

Unidades abriram na madrugada desta quarta-feira (30). Foram desfeitos bloqueios que haviam perto da entrada das Centrais em algum as cidades. Comercialização foi retomada e o volume deve ser normalizado gradativamente. Confira o funcionamento das unidades no feriado. Foto: Divulgação

As Ceasas do Paraná retomaram as atividades de abastecimento de hortigranjeiros. Na madrugada desta quarta-feira (30), o mercado da Ceasa Curitiba abriu às 4h30 sem incidentes causados pelo movimento de paralisação dos caminhoneiros. Nas Ceasas de Maringá e Cascavel, os bloqueios nas proximidades das entradas das também foram desfeitos nesta manhã.

“Destacamos o empenho do Governo do Estado, através do apoio da Defesa Civil e da Polícia Militar, em nos auxiliar de forma conjunta e integrada a resolver esses entraves que estavam causando o desabastecimento dos nossos mercados e sérios prejuízos aos produtores, comerciantes e ao público em geral”, destacou o diretor-presidente da Ceasa Paraná, Natalino Avance de Souza. A estimativa é de que, por dia, a unidade de Curitiba deixou de movimentar cerca de R$ 3,7 milhões.

Na Ceasa da Capital a movimentação desta quarta-feira (30) ficou dentro do esperado pela direção da empresa. No Mercado do Produtor, compareceram 50 dos cerca de 350 agricultores cadastrados que vendem diretamente suas produções. Boa parte das 420 empresas atacadistas da unidade também abriram suas portas para selecionar hortigranjeiros que estavam estocados, ainda em câmaras frias, e receber mercadorias vindas de outras regiões.

“Foi satisfatória a movimentação do nosso mercado em Curitiba, com o reinício de atividades mais consistente no atacado. Entre 240 a 250 toneladas de hortigranjeiros foram negociados nesta manhã. Isso representa apenas 10% do volume médio diário comercializado neste período do ano na unidade”, disse Souza.

ESTABILIDADE – Souza acredita que a partir de sexta-feira, 1º de junho, esses números aumentem gradativamente. “Na conversa com os produtores que atuam na unidade e permissionários atacadistas, a previsão é de que no meio da próxima semana, entre terça e quarta-feira, o mercado já esteja normalizado”, afirma o diretor-presidente da Ceasa.

A maior oferta de hortigranjeiros também deve refletir nos preços. “Com as dificuldades causadas pelos bloqueios nas estradas, várias cargas de hortigranjeiros, entre outros itens, ficaram retidas. Com menor oferta e demanda, as cotações para os produtos são reajustadas. Porém, tão logo o mercado fique abastecido, os preços voltam a ficar estabilizados”, diz Aldo Banaze, que produz bananas em Garuva, no Litoral do Estado e que comercializa em boxes na Ceasa Curitiba.

CORPUS CHRISTI – As Ceasas de Maringá, Cascavel, Londrina e Foz do Iguaçu abrem nesta quinta-feira (31) para favorecer o abastecimento em suas respectivas regiões. A movimentação de produtores, atacadistas e compradores deve aumentar e auxiliar na normalização da oferta e comercialização de hortigranjeiros nos próximos dias.

“Acreditamos que em pouco tempo conseguiremos regularizar as ofertas das mercadorias, assim como também a qualidade dos produtos”, diz o gerente da Ceasa Maringá, Paulo Venturin.

A unidade de Curitiba fecha nesta quinta-feira.

Confira os dias e horários de funcionamento das Ceasas do Paraná.
Ceasa Curitiba
Boxes: de segunda a sexta-feira, das 4h30 às 17h. Mercado do Produtor: de segunda a sexta-feira, das 4h30 às 12 horas. Sábados: das 4h30 às 12 horas.
31 de maio, quinta-feira, mercado fechado.
1 e 2 de junho, sexta-feira e sábado, mercado aberto das 4h30 às 12 horas.
Endereço: BR 116, km 111, nº 22881 – bairro Tatuquara.
(41) 3341-8300 e 3348-6690

http://[email protected]

Os bloqueios das rodovias estaduais e federais do Paraná foram zerados na tarde desta quarta-feira (30). A informação foi confirmada pelo chefe da Casa Militar, coronel Maurício Tortato, durante coletiva com a imprensa realizada no Palácio das Araucárias, em Curitiba. Apenas 12 pontos de manifestação foram identificados até o final da tarde, mas sem interdição das estradas.Curitiba, 30/05/2018.   Foto: José Fernando Ogura/ANPr

Os bloqueios das rodovias estaduais e federais do Paraná foram zerados na tarde desta quarta-feira (30). Com o trabalho das forças de segurança, em especial da Polícia Militar e da Polícia Rodoviária Federal, às 16 horas desta quarta-feira já não restavam pontos de interdição nas estradas paranaenses.

A informação foi confirmada pelo chefe da Casa Militar do Governo do Paraná, coronel Maurício Tortato, em entrevista imprensa. Apenas 12 pontos de manifestação foram identificados até o final da tarde, mas sem obstrução do tráfego nas estradas.

Tortato ressaltou a articulação coordenada pela governadora Cida Borghetti, que abriu diálogo com os caminhoneiros para a liberação de cargas essenciais desde o início do movimento, e com lideranças do setor produtivo e prefeitos para encontrar soluções conjuntas para os impactos da greve. Ele também citou medidas concretas adotadas pelo Estado, como a redução da base de cálculo do ICMS sobre o diesel.

NAS ESTRADAS - Segundo o coronel, as equipes das duas polícias estiveram em praticamente todos os pontos para atuar na negociação. “Todos os caminhoneiros que quiseram voltar às suas atividades normais puderam retornar com segurança. Também foram respeitados os que decidiram permanecer no local de mobilização até o final da tarde e início da noite de quarta-feira e que vão se desmobilizar na quinta-feira”, disse ele.

O chefe da Casa Militar, que coordena o grupo formado para discutir as questões relacionadas à paralisação dos caminhoneiros, afirmou que o Governo do Estado manteve contato com todos os operadores do sistema de transporte de cargas, incluindo a classe empresarial e os caminhoneiros autônomos.

“As estratégias estabelecidas em conjunto entre o Governo do Estado, as entidades do setor produtivo, Polícia Rodoviária Federal e o Exército, que agiram de forma gradativa sem desrespeitar o movimento dos caminhoneiros, trouxeram um resultado positivo”, disse.

Ele salientou que o Governo do Estado vai manter o gabinete de gestão mobilizado para receber eventuais demandas. “Vamos continuar acompanhando todas as unidades da Polícia Militar, do Corpo de Bombeiros, nossas unidades regionais e a Polícia Rodoviária Estadual. A atividade de inteligência permanece efetivamente para que não tenhamos nenhuma surpresa com relação a este processo. Acreditamos que vida normal será retomada a partir de agora”, disse.

MEDIDAS – O coronel Tortato explicou que o Governo do Estado tomou medidas desde o início da paralisação para reduzir os impactos sobre a população. “Estabelecemos a estratégia de chamar para a negociação as lideranças, mesmo que difusas, para que efetivamente houvesse esta desmobilização”, explicou. “Imaginando a necessidade de atuarmos não com o uso da força, mas colocando os agentes de segurança em todos os lugares de manifestação para dar a sensação de segurança e a garantia do direito de ir e vir. Isso surtiu efeitos”, salientou.

ESCOLTAS – A Polícia Militar também fez escoltas aos comboios que transportam alimentos e combustíveis. De acordo com o chefe da Casa Militar, os policiais paranaenses também fizeram, a pedido do governo de Santa Catarina, o acompanhamento de caminhões do Estado vizinho que circulavam no Paraná.

INFILTRADOS - Ele também ressaltou que o Governo do Estado identificou algumas pessoas infiltradas no movimento dos caminhoneiros. “Trabalhamos com muita reserva porque não há necessidade de potencializar esta movimentação, já que os resultados almejados foram alcançados pela atuação do Poder Público”, explicou.

FERIADO – Como o final do bloqueio coincide com o início do feriado de Corpus Christi, o coronel Tortato lembra os motoristas que pretendem pegar a estrada que haverá um fluxo maior de caminhões, seja os que estão retornando para casas ou na reposição da cadeia produtiva. “Estamos com uma agenda intensa para a recomposição das mercadorias para retomada do abastecimento em todas as regiões do Paraná”, salientou.

Outra situação, diz respeito aos postos de combustível que ainda não retomaram o abastecimento. “Ainda que estejamos atuando de modo intenso na distribuição de combustíveis em todo o Estado, ainda há algumas deficiências que podem ser um limitador para quem vai viajar. É importante consultar os locais de destino para ver se o sistema de abastecimento está normalizado”, orientou

A governadora Cida Borghetti conversou nesta sexta-feira (25) com caminhoneiros que fazem manifestação às margens da PR-317, na região de Engenheiro Beltrão, no Noroeste do Paraná. Ela reforçou que no Paraná prevalecerá o diálogo com todos os setores envolvidos com a situação das rodovias.

“Fiz questão de parar para esta conversa. Aqui está todo mundo do mesmo lado”, afirmou a governadora, ressaltando ao grupo de motoristas que já comunicou o governo federal de que não há necessidade do uso de forças federais no Estado.

Cida lembrou do acordo firmado na tarde quinta, em Curitiba, entre o Governo do Estado e lideranças do movimento dos caminhoneiros para que haja liberação do trânsito de cargas prioritárias e essenciais à manutenção de serviços públicos bem como para o transporte de ração animal.

“Respeitamos a classe, entendemos a justa reivindicação, e este acordo vai atender os serviços de interesse comum de todos os paranaenses”, afirmou a governadora.

Ainda na tarde desta sexta-feira a governadora emitiu uma nota oficial em razão das medidas anunciadas pelo governo federal em relação à manifestação dos caminheiros.

NOTA OFICIAL DO GOVERNO DO PARANÁ

O Governo do Paraná reforça que tem mantido o diálogo e as negociações com os líderes do movimento dos caminhoneiros desde o início das manifestações.

Na noite de ontem, a Defesa Civil do Estado conseguiu um importante acordo em relação ao trânsito de cargas prioritárias como insumos hospitalares, ração animal, alimentos para hospitais, combustíveis para ambulâncias, policiamento e transporte público, cargas vivas e também para medicamentos e oxigênio para hospitais.

No Estado do Paraná prevalecerá o diálogo.

Neste momento de crise, a calma, o bom senso e, principalmente, o bem-estar da população devem estar acima dos interesses de setores, que apesar das reivindicações justas, tem o dever de preservar os interesses da maioria da população.

Devido a paralisação dos caminhoneiros, a coleta de lixo está suspensa em Pinhais

Devido a paralisação geral dos caminhoneiros, a Prefeitura de Pinhais informa que a coleta de lixo domiciliar está suspensa. Os acessos até o aterro sanitário estão fechados, impossibilitando a chegada dos caminhões de coleta para descarregar. Pedimos a colaboração da população para que não coloquem o lixo na rua. Qualquer mudança na situação será informada por meio dos nossos canais de comunicação. Dúvidas entrar em contato com a Secretaria de Meio Ambiente pelos telefones 3912-5237 ou 3912-5608.

protesto-caminhoneiros-aumenta-preco-gasolina (4)

Alerta vermelho nas empresas de ônibus

A falta de combustíveis iminente disparou um “Alerta Vermelho” no Sindicato das Empresas de Ônibus de Curitiba e Região Metropolitana (Setransp). Em nota enviada para a imprensa os representantes dos donos de empresas pediram medidas de emergência para diminuir a “carga” do transporte e adiar uma eventual paralisação da circulação dos coletivos.

No final da tarde a Urbs decidiu reduzir a frota de ônibus em circulação em Curitiba já a partir das 17h desta quarta-feira (23). Nos horários de pico, a redução vai ser de 30% e nos demais horários, de 50%. São considerados horários de pico: 6h30 às 8h30; 11h às 13h; 17h às 19h30; 21h30 às 23h.

No final da tarde, no entanto, o prefeito Rafael Greca voltou atrás e disse que enquanto faz as análises dos estoques de combustível das empresas, a frota será mantida.

Faltam alimentos no Ceasa

O terceiro dia de protesto dos caminhoneiros também já afeta a Ceasa. A reportagem apurou que na unidade de Curitiba, que fica no Tatuquara, o abastecimento dos alimentos já diminuiu 50% e só não está sendo mais grave porque produtores da RMC estão conseguindo suprir um pouco a demanda. Na capital, o problema tem acontecido porque os produtores do Norte do Paraná sequer estão permitindo que os caminhões saiam para trazer os alimentos, com medo de que os veículos fiquem presos no caminho.

Nossa Feira suspensa

Pontos do programa Nossa Feira, da prefeitura de Curitiba, não irão funcionar nesta quarta (23/5) e quinta (24/5) por falta de frutas, legumes e verduras. O desabastecimento acontece por causa da Mobilização dos Caminhoneiros. As primeiras a sentirem os efeitos são os pontos do Barreirinha e no Campina do Siqueira, nesta quarta-feira. Na quinta-feira não vão abrir os pontos do Pilarzinho e do Lindoia. Sacolões e Armazéns da família também podem fechar.

Bloqueios

O protesto dos caminhoneiros contra o aumento no preço dos combustíveis segue causando bloqueios em estradas. No Paraná são 36 protestos nas estradas federais, mas não há bloqueio total, apenas quatro bloqueios parciais. Por determinação da Justiça Federal, o bloqueio total das rodovias paranaenses está proibido, sob pena de R$ 100 mil por hora.

Durante a tarde foram realizados bloqueios no Contorno Leste, na região de São José nos Pinhais, numa mobilização de ceramistas, donos de transportadoras, agricultores e motoristas. Impedidos de interditar totalmente a rodovia, os motoristas trafegavam a velocidades muito baixas. Na Rodovia da Uva, sentido Colombo, também foram registrados protestos.

Apoio de outras categorias

Motoboys e motoristas de aplicativos se uniram aos caminhoneiros em Curitiba para protestar contra o aumento dos combustíveis na manhã desta quarta. Cerca de 50 motoboys e motoristas de apps – como Uber, 99 e Cabify – se reuniram por volta das 8h nas proximidades da fábrica da Volvo, na CIC, e partiram em carreata em direção à Repar, a refinaria da Petrobras em Araucária, região metropolitana.

Entenda os motivos

Os aumentos seguidos nos preços do diesel levaram os caminhoneiros a programarem a paralisação. A categoria pede que uma série de reivindicações apresentadas ao governo federal sejam atendidas. A principal reivindicação dos caminhoneiros é a redução da carga tributária sobre o diesel. Os motoristas pedem que se zere a alíquota de PIS/Pasep e Cofins e a isenção da Contribuição de Intervenção no Domínio Econômico (Cide).

Os impostos representam quase a metade do valor do combustível na refinaria. Segundo eles, a carga tributária menor daria fôlego ao setor, já que o diesel representa 42% do custo do frete. Por conta dos reajustes diários no diesel, os caminhoneiros autônomos dizem estar no limite dos custos. Nos últimos 12 meses, o preço do diesel na bomba subiu 15,9%. O valor está bem acima da inflação acumulada em 12 meses, em 2,76%, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

f:tribuna

CONTATO COMERCIAL

atendimento pelo email:

[email protected]

 

Visitantes

002408531
Hoje
Ontem
Ultima Semana
Ultimos Mêses
Este Mês
Último Mes
Total Geral
377
2058
11060
2383489
41587
61069
2408531

Your IP: 108.162.246.219
Server Time: 2018-06-23 04:44:27

Facebook